Existem diversas formas de deixar o sorriso bonito e agradável. Dentes tortos e desalinhados não são considerados estéticos e acabam desarmonizando a beleza da face.

Para fazer o correto alinhamento dentário, contamos com inúmeros recursos na ortodontia: aparelhos fixos, removíveis, placas alinhadoras… Esses aparelhos são instalados nos dentes para transformar o sorriso, harmonizando os dentes ao rosto do paciente. Além disso, se bem conduzido, o tratamento ortodôntico não traz prejuízo biológico algum aos dentes ou gengivas.

Os fatores que podem ser considerados desvantagem na ortodontia após a invenção dos aparelhos totalmente estéticos é o tempo e o incômodo gerado após as manutenções. Alguns pacientes não têm tempo, paciência ou realmente não se dispõem a ser submetidos à um tratamento ortodôntico.

Para esses pacientes, existe uma alternativa de tratamento: As facetas. Elas são próteses coladas na frente dos dentes (conhecida como face vestibular) para corrigir dentes trincados, manchados, desalinhados, desgastados, desiguais ou com espaçamento anormal.

Os tipos de facetas mais comuns são de resina e porcelana. “Ambos podem ser fabricados por um protético em laboratório de prótese dentária, chamadas facetas indiretas, ou ainda com a aplicação direta de resina no consultório, conhecida como faceta direta”, explica a ortodontista Carolina Brioschi.

Para corrigir a falta de alinhamento dentário com as facetas, o dentista deve remover uma quantidade da superfície dos dentes, para permitir a colocação das lâminas na posição de alinhamento. “E é aí que entra o prejuízo biológico, já que muitas vezes, os dentes desgastados são saudáveis, e o esmalte removido para instalar a faceta nunca será reposto, ou seja, é um procedimento irreversível. Além disso, se os dentes forem muito desalinhados, o desgaste pode ser tanto ao ponto de ser necessária a instalação de uma coroa dentária”, enfatiza Carolina.

Portanto, quando bem indicadas, as facetas podem trazer vários benefícios, como estética e função, mas o planejamento deve considerar que em alguns casos, obrigatoriamente devemos realizar o tratamento ortodôntico. O ideal é sempre procurar um especialista para que ele possa analisar cada caso e indique o tratamento mais adequado”, revela Brioschi.

image002

image004